Guarda-redes espanhol beijou a jornalista

De que vale uma vitória se não a podemos partilhar com quem mais gostamos? Pouco, terá pensado Iker Casillas, que deu rédea livre ao sentimento e beijou a jornalista que o entrevistava no final do jogo que deu o título de campeão do Mundo à Espanha, na África do Sul.

A repórter da Tele 5, Sara Carbonero reagiu surpreendida. A namorada de Iker Casillas limpou o que parecia ser uma lágrima do canto do olho e suspirou: “Madre Mia”.

Ouviram-se aplausos já o futebolista saíra de cena, deixando a namorada com um sorriso comprometido a terminar o directo.

O momento, enternecedor, ficará para a história do Mundial como o desfecho certo de um momento de felicidade que é a conquista de um título, no caso, o primeiro Mundial espanhol. Será recordado não só pelo beijo, mas por todos os escassos 30 segundos e picos da entrevista, que começou num tom um semi-profissional.

Casillas, o entrevistado, depois da insistência da repórter, Sara, lá meteu a cassete do “futebolês”: muito feliz por estar contente, pois claro, o novo campeão do Mundo de futebol e melhor guarda-redes da prova, avançou para os agradecimentos.

“Agradeço aos meus pais, amigos e toda a gente que me ajudou…” A voz embargada foi penhorada a favor da emoção. Com as lágrimas a querem mostrar, no guarda-redes, que há homens que também choram, a namorada saiu-lhe em socorro.

Não tinha um cavalo branco ou uma espada a brilhar contra o sol, antes uma câmara de um canal de televisão e um microfone. “No pasa nada”, disse Sara. “Não há problema, amor”, percebeu-se, numa tradução livre para português. “Vamos falar do jogo”, disse a repórter, procurando reorientar a entrevista e o entrevistado.

Casillas, talvez ainda em função do embargo que sentia na voz, disse que não com a mão, indicador direito erguido. E disse-o duas vezes. Mudo, mas não quedo, o guarda-redes tomou a jornalista nos braços, com a segurança de quem acabara de ser eleito o melhor guarda-redes do Mundial, e beijou a namorada… que era a jornalista que o entrevistava.

Parece o epílogo certo para o Mundial de 2010. A prova, de amor, que contraria a maledicência. O beijo, à frente das câmaras, que já correu o Mundo, que mostra o erro de muitos colegas de Carbonero, que a consideraram responsável pela derrota de Espanha, ante a Suíça (1-0), no primeiro jogo do Mundial de 2010.

“Uma distracção”, proclamaram, então, na forma de uma bela mulher que exercia a profissão de repórter junto da baliza defendida por um profissional do futebol, no caso, o namorado.

E nas sete vitórias que se seguiram, com apenas um golo mais sofrido, que foi Sara Carbonero para Casillas? Alguém especial a quem agradeceu, na forma de um beijo, em directo para Espanha e para o Mundo. “Madre mía”…

in JN online

Anúncios

3 Respostas to “Guarda-redes espanhol beijou a jornalista”

  1. Santopekador Says:

    Foi um beijo técnico, também não era caso para a jornalista ficar sem jeito…

  2. paranoiasnfm Says:

    Fez ele muito bem… 😀

  3. Carpe Diem Says:

    kaikas kaikas…sabes que vejo-te a fazer algo assim…ah pois é..mas deve ser nas Olímpiadas da Matemática…:D

Deixe o seu comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: